Banner
Base bibliográfica geral
Registos: 1 - 10 de um total de 54
O meu comentário Facebook Twitter LinkedIN
Título: Validação de competências profissionais : compreender e debater a problemática
Autor(es): Luis Imaginário
Resumo: No pressuposto de que não existe onde quer que seja qualquer "ciência certa" que consentiria apoiarmo-nos, com segurança, num saber historicamente constituído e fundador do sentido e da pertinência quer dos modos de pôr o problema da validação de competências profissionais quer, por maioria da razão, dos modos de lhe responder, opta-se por explorar tr
Publicado em: In: Sociedade e trabalho. - Lisboa : M.Q.E., 1997-. - ISSN 0873-8858. - Nº 7 (Dez. 1999), p. 101-114
Assuntos: Sociedade e trabalho | Formação profissional | Competência profissional
Veja também: Imaginário, Luis
Localização: PP.232 (CEJ)

O meu comentário Facebook Twitter LinkedIN
Título: Trabalho a tempo parcial : voluntariedade ou involuntariedade?
Autor(es): Vera Santana, Luís Centeno , Rita Girão
Resumo: Este artigo tem na base uma pesquisa que pretende caracterizar o trabalho a tempo parcial em Portugal numa perspectiva quantitativa e como contexto jurídico a Lei n.º 103/99. O conceito de trabalho a tempo parcial insere-se no quadro das formas particulares de trabalho as quais mantêm (Maruani,1989) relações estreitas com a precariedade. Trata-se de um fenómeno que evidencia a influência do sistema de emprego emergente de re-ordenamentos dos sectores económicos e das empresas em geral e não de um fenómeno com causas fundamentalmente sociais derivadas de novos modos de trabalhar e de pensar o trabalho e o tempo, de opções individuais, ou até de movimentos sociais, o que caracteriza o trabalho a tempo parcial em Portugal como sendo involuntário. Dos resultados obtidos emerge um quadro irregular assente em duas variáveis base: o sexo feminino e o sector terciário. O trabalho a tempo parcial pode constituir-se como um dos pontos de ancoragem de um caminho precário para as mulheres ou, pelo contrário, emergir nalgumas franjas da sociedade como um dos pontos de ancoragem de um caminho alternativo, optado, inovador.
Publicado em: In: Sociedade e trabalho. - Lisboa : M.Q.E., 1997-. - ISSN 0873-8858. - N.º 14/15 (Jul.-Dez. 2001), p.57-69
Assuntos: Trabalho a tempo parcial | Contrato de trabalho | Salário
Veja também: Santana, Vera | Centeno, Luís | Girão, Rita
Localização: PP.232 (CEJ)

O meu comentário Facebook Twitter LinkedIN
Título: Sociedade e trabalho
Autor(es): propr. Ministério para a Qualificação e o Emprego ; dir. António Oliveira das Neves
Numeração: N.º 1 (Out. 1997)-
Publicação: Lisboa : M.Q.E., 1997-
Descrição física: 28 cm
Notas: Quadrimestral
ISBN/ISSN: ISSN 0873-8858
Assuntos: Direito do trabalho | Publicação periódica
Localização geográfica da publicação: Lisboa
CDU: 050
Veja também: Neves, António Oliveira das | Portugal. Ministério para a Qualificação e o Emprego
Localização: PP.232 (CEJ) N.41 - 30000027534
PP.232 (CEJ) N.42 - 30000030415
PP.232 (CEJ) N.43, 44, 45 - 30000030416

O meu comentário Facebook Twitter LinkedIN
Título: Sistema de observação de percursos de inserção dos diplomados do ensino superior : balanço de um experiência
Autor(es): Maria Isabel Duarte, Cristina Gomes da Silva
Publicado em: In: Sociedade e trabalho. - Lisboa : M.Q.E., 1997-. - ISSN 0873-8858. - Nº 10 (Set. 2000), p. 69-100
Assuntos: Sociedade e trabalho | Emprego | Inserção profissional | Ensino superior
Veja também: Duarte, Maria Isabel | Silva, Cristina Gomes da
Localização: PP.232 (CEJ)

O meu comentário Facebook Twitter LinkedIN
Título: Programa aprendizagem ao longo da vida : uma vida a aprender a educação como processo que se renova na promoção da inclusão social
Autor(es): Maria Isabel Duarte
Resumo: Não se pretende com este artigo contribuir para uma reflexão teórica sobre o tema “combate à pobreza e exclusão social”. Propomo-nos, apenas, reflectir sobre a quota parte de responsabilidade política, técnica e social do Programa aprendizagem ao Longo da Vida (PALV) neste desafio, materializada nos projectos e intervenientes que promovem o intercâmbio, a cooperação e a mobilidade transnacionais entre os sistemas de ensino e formação na União Europeia. Falamos de decisores, professores, formadores, empregadores, estudantes, formandos, aprendentes, pessoal ao serviço das organizações que, só em 2009 e em Portugal, se envolveram em mais de 350 projectos de cooperação e alimentaram cerca de 12 500 mobilidades para fins de aprendizagem ao abrigo do PALV. Conhecendo processos e produtos, escutando as expectativas e a avaliação de quem se atreveu, partilhando sucessos e insucessos de experiências vividas no âmbito do PALV, percebemos como elas contribuem para a tomada de consciência da responsabilidade individual e colectiva na promoção da inclusão social. Para fazer diferença, no entanto, falta ainda mais compromisso político, mais competência e abertura organizacional, mais ousadia e inquietação individual…
Publicado em: In: Sociedade e trabalho. - Lisboa : M.Q.E., 1997-. - ISSN 0873-8858. - N.º 41 (maio - ago. 2010), p. 59-68
Assuntos: Sociedade e trabalho | Educação | Inclusão social
Veja também: Duarte, Maria Isabel
Localização: PP.232 (CEJ)

O meu comentário Facebook Twitter LinkedIN
Título: Planos para a igualdade género nas organizações : contributos para o desenho e realização dos diagnósticos organizacionais
Autor(es): Rosa Monteiro, Virgínia Ferreira
Notas: Bibliografia pág. 134-136
Resumo: O presente artigo constitui-se como um contributo para a compreensão e operacionalização dos planos para a igualdade nas organizações. Partindo da explicitação do enquadramento político deste novo desafio, colocado pelos últimos governos às organizações, ele fornece um modelo de diagnóstico, indicando algumas estratégias metodológicas a prosseguir e o tipo de indicadores fundamentais numa análise de género
Publicado em: In: Sociedade e trabalho. - Lisboa : M.Q.E. - ISSN 0873-8858. - N.º 43, 44 e 45 (jan.-dez. 2011), p. 123-136
Assuntos: Igualdade de género | Planos para a igualdade | Trabalho
Veja também: Monteiro, Rosa | Ferreira, Virgínia
Localização: PP.232 (CEJ)

O meu comentário Facebook Twitter LinkedIN
Título: Os meios alternativos complementares de resolução dos conflitos laborais
Autor(es): António Damasceno Correia
Publicado em: In: Sociedade e trabalho. - Lisboa : M.S.S.T. - N.º 36 (Set.-Dez. 2008), p. 51-72
Assuntos: Direito do trabalho | Sociedade e trabalho | Conflito laboral | Resolução alternativa de litígios
Veja também: Correia, António Damasceno
Localização: PP.232 (CEJ)

O meu comentário Facebook Twitter LinkedIN
Título: Os cuidados à família na legislação do trabalho : da lei à prática
Autor(es): Maria Josefina Leitão
Resumo: A participação massiva das mulheres no mercado do trabalho veio colocar na agenda política a questão dos trabalhadores com responsabilidades familiares. Profundamente influenciada por conceções inerentes ao papel de homens e de mulheres na família e na sociedade e ponto de interseção das políticas governamentais nas áreas do trabalho, da família e da igualdade e não discriminação, esta questão tem sido objeto de diferente tratamento ao longo das últimas décadas. O presente estudo analisa de forma evolutiva os direitos relativos aos cuidados à família consagrados na legislação do trabalho publicada após abril de 1974, e procura retirar algumas conclusões sobre a eficácia dessa legislação na resolução dos problemas sociais subjacentes a esses cuidados, bem como sobre a sua contribuição para a alteração do paradigma de género dos cuidadores familiares
Publicado em: In: Sociedade e trabalho. - Lisboa : M.Q.E. - ISSN 0873-8858. - N.º 42 (set.-dez. 2010), p. 27-39
Assuntos: Igualdade de género | Protecção da maternidade | Protecção da família | Legislação do trabalho | Evolução histórica | Portugal
Veja também: Leitão, Maria Josefina
Localização: PP.232 (CEJ)

O meu comentário Facebook Twitter LinkedIN
Título: Organização da qualidade e dinâmicas profissionais
Autor(es): Ana Cristina Cabral, Ana Margarida Colaço, Gabriela Guerreiro
Resumo: Tendo por base o estudo "A Qualidade em Portugal: tendências, qualificações e formação", realizado no INOFOR, este artigo procura reflectir sobre a organização do trabalho na Qualidade, numa perspectiva intersectorial, assim como sobre as repercussões na recomposição da respectiva estrutura profissional e das competências requeridas. A Qualidade tende a ser um indicador de modernização organizacional pois impõe grandes desafios à organização do trabalho, nomeadamente, com a adopção de práticas inovadoras de gestão da qualidade ou com o recurso a ferramentas e a soluções organizacionais sofisticadas. Subjacente a esta sofisticação das práticas de trabalho, surge a necessidade de renovação da estrutura profissional típica desta área, tradicionalmente associada a baixos níveis de habilitação. A existência de uma procura crescente de recursos humanos altamente qualificados e especializados para a área da Qualidade revela a necessidade de mobilizar determinadas competências que se afiguram estratégicas: desenvolver e implementar sistemas de garantia da qualidade, assim como novas filosofias, métodos e ferramentas; desenvolver modelos de organização do trabalho na qualidade, aplicar e desenvolver as TIC para gerir a informação, trabalhar em equipas multifuncionais e multidisciplinares; ser flexível perante novas situações de trabalho; comunicar com colaboradores internos e externos; sugerir formas de melhoramento no sistema da qualidade.
Publicado em: In: Sociedade e trabalho. - Lisboa : M.Q.E., 1997-. - ISSN 0873-8858. - N.º 14/15 (Jul.-Dez. 2001), p. 107-114
Assuntos: Formação profissional | Organização do trabalho | Mudança organizacional
Veja também: Cabral, Ana Cristina | Colaço, Ana Margarida | Guerreiro, Gabriela
Localização: PP.232 (CEJ)

O meu comentário Facebook Twitter LinkedIN
Título: O papel da rede de serviços e equipamentos sociais
Autor(es): Carina Metelo, Elisabete Mateus, João Gonçalves
Resumo: Nos últimos 15 anos, em paralelo com o desenvolvimento de uma nova geração de políticas sociais, Portugal tem investido na dinamização da Rede de serviços e Equipamentos sociais, quer na vertente de crescimento da capacidade de resposta às necessidades sociais, quer na vertente de qualidade e segurança nos serviços prestados aos cidadãos. Sendo inequívoco o papel de relevo assumido pelas instituições de solidariedade social no combate à pobreza e às diferentes dimensões da exclusão social, o aumento expressivo de utentes abrangidos no âmbito dos acordos de Cooperação celebrados entre o Estado e o sector solidário, bem como o significativo investimento realizado por via de programas de alargamento da rede, evidenciam o interesse público pelo bem-estar dos indivíduos e das famílias, em particular dos mais carenciados. o presente texto aborda, em tom de reflexão e de informação, algumas das dinâmicas e inter-relações mais prementes entre a Rede de serviços e Equipamentos sociais e as problemáticas da pobreza e exclusão social
Publicado em: In: Sociedade e trabalho. - Lisboa : M.Q.E., 1997-. - ISSN 0873-8858. - N.º 41 (maio - ago. 2010), p. 69-87
Assuntos: Sociedade e trabalho | Exclusão social | Pobreza | Política social
Veja também: Metelo, Carina | Mateus, Elisabete | Gonçalves, João
Localização: PP.232 (CEJ)