Banner
Base bibliográfica geral
Registos: 1 - 10 de um total de 48
O meu comentário Facebook Twitter LinkedIN
Título: Transições para a vida adulta entre jovens de um bairro social
Autor(es): Alexandre Silva, Fernando Luis Machado
Resumo: O jovem de bairro social, sobretudo de origem imigrante, é socialmente representando com traços fortes e negativos. Perceber como estes jovens constroem os seus trajectos para a vida adulta faz parte do necessário exercício de objectivação sociológica que permita ultrapassar as associações mais simplistas entre juventude e bairros sociais. Ao longo deste texto, dá-se conta de uma investigação sobre percursos de transição para a vida adulta que envolveu a realização de 20 entrevistas biográficas a jovens de um bairro socialdo Concelho da Amadora [...].
Publicado em: In: Ousar integrar. - Lisboa : Direcção-Geral de Reinserção Social, 2008. - ISSN 1647-0109. - A. 3, Nº 6 (Maio 2010), p. 29-41
Assuntos: Sociologia | Exclusão social | Jovem | Integração social
Veja também: Silva, Alexandre | Machado, Fernando Luis
Localização: PP.247 (CEJ)

O meu comentário Facebook Twitter LinkedIN
Título: A suspensão provisória do processo em casos de violência conjugal : um estudo exploratório
Autor(es): Sofia Dias, Madalena Alarcão
Resumo: O presente estudo visa analisar a prática da suspensão provisória do processo em casos de violência conjugal, respondendo a três questões: a) Com que frequência a suspensão provisória do processo é aplicada em queixas de violência conjugal; b) Quem são os agressores e quais as injunções mais aplicadas? e c) Que opinião têm as vítimas, os agressores, os procuradores do Ministério Público (MP) e os técnicos (responsáveis pela avaliação psicossocial) sobre a suspensão provisória do processo? Para tal, recorreu-se à análise de dados e processos disponibilizados pelo Departamento de Investigação e Acção Penal (DIAP) de Coimbra e realizaram-se 25 entrevistas estruturadas. Os resultados evidenciam que a suspensão provisória do processo foi aplicada em 7.6% dos processos entrados entre 2000 e 2002. Os agressores são do sexo masculino e a maioria sofre de alcoolismo, sendo as injunções mais aplicadas referentes ao tratamento do alcoolismo/toxicodependência/psiquiátrico e ao acompanhamento pela Direção-Geral de Reinserção Social (DGRS). As injunçõesforam cumpridas em 97.62% de casos. Na generalidade, os entrevistados consideram a suspensão provisória do processo uma medida adequada para casos de violência conjugal, salientando a informação psicossocial para a tomada de decisão e para a responsabilização/controlo do maltratante como elemento positivo. Porém, a reduzida duração da medida é tida como aspeto desfavorável.
Publicado em: In: Ousar integrar. - Lisboa : Direcção-Geral de Reinserção Social, 2008. - ISSN 1647-0109. - A. 5, Nº 11 (Jan. 2012), p. 9-21
Assuntos: Reinserção social | Violência doméstica | Suspensão provisória do processo | Agressão | Vítima | Sistema jurídico
Veja também: Dias, Sofia | Alarcão, Madalena
Localização: PP.247 (CEJ)

O meu comentário Facebook Twitter LinkedIN
Título: Sugestionabilidade interrogativa : implicações para a assessoria técnica a tribunais e para a intervenção com delinquentes
Autor(es): Daniela Neves, Maria Salomé Pinho, Margarida Faria
Resumo: Procurou-se analisar a sugestionabilidade interrogativa, avaliada pela Escala de Sugestionabilidade de Gudjonsson 1 (GSSI), em duas amostras da população delinquente portuguesa, sendo uma delas constituída por 20 adolescentes entre os 12 e 16 anos e a outra por 20 adultos entre os 18 e 44 anos. Pretendia-se perceber de que forma a reincidência afecta a sugestionabilidade, bem como a relação que se estabelece entre esta última e outras variáveis psicológicas, especificamente memória (a longo prazo e de trabalho), auto-conceito, auto-monitorização e desiderabilidade social. Os indivíduos reincidentes mostraram-se menos sugestionáveis do que os casos da primeira condenação. Foram, também, observadas correlações significativas de medidas de sugestionabilidade com memória a longo prazo, memória de trabalho, desiderabilidade social e auto-conceito, embora, em parte, diferentemente distribuídas pelos dois grupos. Tais resultados sugerem que estas variáveis deveriam integrar a avaliação de confissões e depoimentos, tendo em conta as especificidades de adolescentes e adultos. É discutida, ainda, a possibilidade de utilização de alguns destes resultados como indicadores de factores a considerar numa intervenção com este tipo de população. Contudo, há a necessidade de mais estudos nesta área, que comportem amostras mais numerosas e permitam cimentar estes resultados iniciais.
Publicado em: In: Ousar integrar. - Lisboa : Direcção-Geral de Reinserção Social, 2008. - ISSN 1647-0109. - A. 4, Nº 8 (Jan. 2011), p.67-77
Assuntos: Reincidência
Veja também: Neves, Daniela | Pinho, Maria Salomé | Faria, Margarida
Localização: PP.247 (CEJ)

O meu comentário Facebook Twitter LinkedIN
Título: Ruturas conjugais : perceção de conflitos interparentais e estratégias de coping nos adolescentes
Autor(es): Ana Rita Milheiriço, João Pedro Oliveira
Notas: Bibliografia pág. 72-75
Resumo: A presente investigação teve como objetivo aferir se a situação conjugal dos pais influenciava a perceção de conflitos interparentais e as estratégias de coping usadas pelos adolescentes. Com este propósito, participaram no estudo 110 adolescentes, dos quais 58 (52.7%) integraram o grupo de pais em união de facto/casados e 52 (47.3%) o grupo de famílias cujos pais se encontravam separados/divorciados. As idades variaram entre os 12 e os 17 anos (M=14; dp= 1.204). O protocolo de investigação foi constituído por três instrumentos de auto preenchimento, designadamente uma ficha de caracterização sócio demográfica, a Escala de Perceção das Crianças aos Conflitos Interparentais (Sani, 2006b) e o Coping Responses Inventory-Youth Form (Moos, 1992). Os resultados demonstraram que os adolescentes integrados em famílias monoparentais percecionavam, em média, maiores dificuldades na resolução dos conflitos entre os pais. Já as estratégias de coping eram similares, independentemente da situação conjugal. Não obstante, os rapazes revelaram, em média, maior perceção do conteúdo dos conflitos interparentais do que as raparigas. O ano de escolaridade revelou-se uma variável importante, tendo sido possível verificar que os adolescentes ao integrarem um ano de escolaridade mais avançado recorriam a estratégias de coping mais adaptadas, nomeadamente a estratégias cognitivas de aproximação e evitamento.
Publicado em: In: Ousar integrar. - Lisboa : Direcção-Geral de Reinserção Social, 2008. - ISSN 1647-0109. - A. 5, nº 12 (Maio 2012), p. 59-75
Assuntos: Adolescente | Divórcio | Conflito interparentais
Veja também: Milheiriço, Ana Rita | Oliveira, João Pedro
Localização: PP.247 (CEJ)

O meu comentário Facebook Twitter LinkedIN
Título: A resiliência do recluso no processo de adaptação à prisão
Autor(es): Pedro Mendes
Resumo: Numa amostra de 70 reclusos condenados do sexo masculino, com uma média de idades de 29.5 anos (sd=6.6 anos) foi verificado o carácter clínico da população reclusão, comparado o tipo de adaptação ao meio prisional (Gonçalves, 2008, 1993) com as variáveis ambientais: Actividade, Suporte Emocional, Liberdade, Privacidade, Segurança, Estimulação Social, Estrutura e Suporte Institucional (Toch, 2006) e ainda comparado o nível de resiliência do recluso com o seu processo adaptativo à prisão. Os resultados obtidos através do uso do Inventário de Sintomas Psicopatológicos, do Prison Preference Inventory e da Connor-Davidson Resilience Scale, confirmaram o carácter clínico dos participantes, demonstraram existir diferenças quanto à Ideação Paranóide e ao Índice de Sintomas Positivos, revelaram a importância das variáveis ambientais para a população reclusão com diferenças relativamente à dimensão Liberdade e mostraram o alto nível de resiliência dos participantes, existindo diferenças inter-grupos.
Publicado em: In: Ousar integrar. - Lisboa : Direcção-Geral de Reinserção Social, 2008. - ISSN 1647-0109. - A. 4, Nº 8 (Jan. 2011), p. 39-51
Assuntos: Política criminal | Recluso
Veja também: Mendes, Pedro
Localização: PP.247 (CEJ)

O meu comentário Facebook Twitter LinkedIN
Título: Representações, interesses e motivações de jovens em centro educativo sobre os media
Autor(es): Maria João Leote de Carvalho, Juliana Serrão
Resumo: No âmbito do Projeto "Crianças e Jovens nas Notícias ", financiado pela Fundação para a Ciência e Tecnologia (POCI/COM/60020/2004), realizou-se um estudo de caráter exploratório que teve por objetivo conhecer o lugar que os media ocupam no universo dos jovens internados nos Centros Educativos, da Direção-Geral de Reinserção Social, do Ministério da Justiça. Articulando metodologias quantitativas e qualitativas (inquérito por questionário e entrevista semidiretiva individual), partiu-se da identificação dos interesses, motivações e hábitos no acesso à imprensa escrita e à televisão para analisar de que formas (re)veem as suas trajetórias de vida e como se colocam perante a instituição e a partir dela projetam o futuro. Os participantes (N= 150), de ambos os sexos, com idades compreendidas entre os 12 e os 20 anos, manifestaram-se particularmente interessados em notícias dos jornais e dos canais de televisão, em especial sobre dois temas - crianças em perigo e delinquência -, e o acesso à informação escrita e audiovisual na instituição revelou-se fundamental pelo elo de ligação com o exterior que representa. Os resultados mostram que muitos dos jovens inquiridos tiveram um contacto direto com a comunicação social numa dupla vertente - "ator delinquente" versus "ator social" -, emergindo das experiências significados diametralmente opostos.
Publicado em: In: Ousar integrar. - Lisboa : Direcção-Geral de Reinserção Social, 2008. - ISSN 1647-0109. - A. 5, Nº 11 (Jan. 2012), p. 37-51
Assuntos: Reinserção social | Delinquência juvenil | Jovem | Comunicação social | Meios de comunicação de massas
Veja também: Carvalho, Maria João Leote de | Serrão, Juliana
Localização: PP.247 (CEJ)

O meu comentário Facebook Twitter LinkedIN
Título: A re-introdução da noção de discernimento : uma ruptura no direito penal de menores?
Autor(es): Francis Bailleau
Resumo: Assiste-se em França, de há uma década a esta parte, a uma inversão do processo relativo ao tratamento da delinquência juvenil. Esta mudança de perspectiva traduz-se no aumento da importância da via única de penalização do comportamento dos jovens e na ênfase colocada nas medidads privativas de liberdade como resposta à questão social que, hoje em dia, a juventude pode colocar. Relativamente a esta nova situação, tratar-se-á de compreender o que permitiu, não apenas a emergência de uma preocupação protectora no início do século XX, como também a sua contestação no limiar do século XXI, com base numa análise dos processos que permitiram o reconhecimento dos jovens, como classe de idade autónoma, face aos adultos.
Publicado em: In: Ousar integrar. - Lisboa : Direcção-Geral de Reinserção Social, 2008. - ISSN 1647-0109. - A. 3, Nº 7 (Set. 2010), p. 9-21
Assuntos: Medidas privativas da liberdade | Reinserção social | Menores
Veja também: Bailleau, Francis
Localização: PP.247 (CEJ)

O meu comentário Facebook Twitter LinkedIN
Título: A reinserção social no diagrama disciplinar
Autor(es): Lúcia G. Pais
Resumo: Discute-se a reinserção social enquanto dispositivo do controlo social, reflectindo acerca das suas condições de emergência e das configurações que foi conhecendo ao longo do tempo, servindo uma política de defesa social. Procura-se situá-la no panorama actual, na sociedade do risco, onde cresce a desilusão e a desconfiança face às políticas criminais centradas no indivíduo ofensor.
Publicado em: In: Ousar integrar. - Lisboa : Direcção-Geral de Reinserção Social, 2008. - ISSN 1647-0109. - N.º 1 (Set. 2008), p. 9-19
Assuntos: Reinserção social | Controle social
Veja também: Pais, Lúcia G.
Localização: PP.247 (CEJ)

O meu comentário Facebook Twitter LinkedIN
Título: Reincidência de jovens infractores na Comunidade de Madrid
Autor(es): José Luis Graña Gómez, Vicente Garrido Genovés, Luis González Cieza
Resumo: O objectivo deste estudo consistiu em caracterizar os jovens em centros de internamento da Agencia de la Comunidad de Madrid para la Reeducación y Reinserción del Menor Infractor relativamente às suas características delituosas e, ao mesmo tempo, validar um instrumento conhecido como Youth Level of Service/Case Management Inventory - YLS, que permite avaliar factores de risco estáticos e dinâmicos para explicar o comportamento delituoso e estabelecer objectivos de intervenção educativo-terapêutica [...].
Publicado em: In: Ousar integrar. - Lisboa : Direcção-Geral de Reinserção Social, 2008. - ISSN 1647-0109. - A. 3, Nº 6 (Maio 2010), p. 9-28
Assuntos: Sociologia | Jovem | Infracção | Violência | Reinserção social
Veja também: Graña Gómez, José Luis | Garrido Genovés, Vicente | Cieza, Luiz González
Localização: PP.247 (CEJ)

O meu comentário Facebook Twitter LinkedIN
Título: Redução da reincidência de ofensores adultos : uma revisão de métodos e resultados
Autor(es): James McGuire
Resumo: Ao longo, aproximadamente, dos últimos 35 anos tem havido um aumento considerável do número de estudos publicados nos quais se avaliam as intervenções efectuadas para reduzir a reincidência em adultos que infringiram repetidamente a lei. Este artigo sistematiza a evidência decorrente destes estudos. Os resultados de uma parte significativa dos estudos foram sintetizados numa série de revisões meta-analíticas. O artigo começa por sintetizar o conjunto dos temas abrangidos por estas revisões, antes de examinar os seus resultados e extrair conclusões relativas aos tipos de intervenção que os dados disponíveis melhor suportam. O artigo também mostra a relação entre a pesquisa nesta área e alterações nos padrões dos serviços da justiça e sistema penal, esplicando os princípios da "prática baseada na evidência", utilizando, como exemplo, a recente e principal alteração política ocorrida no Reino Unido e os seus efeitos mensuráveis até ao momento. O artigo termina com algumas observações gerais sobre a natureza da pesquisa descrita e fornece sugestões para direcções futuras possíveis para a exploração de questões que se encontram por responder nesta área.
Publicado em: In: Ousar integrar. - Lisboa : Direcção-Geral de Reinserção Social, 2008. - ISSN 1647-0109. - A. 4, Nº 8 (Jan. 2011), p. 9-25
Assuntos: Reincidência
Veja também: McGuire, James
Localização: PP.247 (CEJ)