Banner
Base bibliográfica geral
Registos: 1 - 10 de um total de 11
O meu comentário Facebook Twitter LinkedIN
Título: Violência terrorismo e psicologia uma abordagem exploratória
Autor(es): João Paulo Ventura, José Miguel Nascimento
Publicado em: In: "Revista portuguesa de ciência criminal",Coimbra, A.11, n.4 (Out.-Dez. 2001), p. 633-698
Assuntos: Terrorismo | Violência | Psicologia
Veja também: Ventura, João Paulo | Nascimento, José Miguel
Localização: PP.141 (CEJ)

O meu comentário Facebook Twitter LinkedIN
Título: Tráfico de seres humanos e terrorismo internacional
Autor(es): João Paulo Ventura
Notas: Bibliografia pág. 109
Resumo: Aborda-se e discute-se a interação que se vislumbra entre os crimes de tráfico de seres humanos – nas suas diversas modalidades e características diferenciadas – e as atividades de natureza terrorista e dimensão internacional, com o propósito de avaliar em que medida a hégira – que se iniciou a partir de 2012 com destino à região Sírio-Iraquiana na sequência da chamada “Primavera Árabe” e decorreu a bom ritmo durante vários anos – pode ser comparada, ou é de facto equivalente, a gigantesca operação de tráfico de seres humanos. Apresentam-se, nesse contexto, exemplos de recrutamento de mulheres e crianças pela organização terrorista auto-denominada ISIL-ISIS-Da’esh, para efeitos de exploração de trabalho, escravatura e exploração (escravidão) sexual e também pela sua organização (terrorista) satélite Boko Haram, igualmente conhecida como Estado Islâmico na África Ocidental
Publicado em: In: Investigação criminal. - Lisboa : ASFICPJ. - ISSN 1647-9300. - N.º 11 (fevereiro 2017), p. 88-109
Assuntos: Terrorismo internacional | Tráfico de pessoas | Cooperação internacional | Exploração sexual | Exploração do trabalho
Veja também: Ventura, João Paulo
Localização: PP.280 (CEJ)

O meu comentário Facebook Twitter LinkedIN
Título: Toxicodependência, motivação, comportamento delituoso e responsabilidade criminal : alguns nexos de comprovada causalidade
Autor(es): João Paulo Ventura
Publicado em: In: "Revista portuguesa de ciência criminal", Lisboa, A. 7, (3), Julho-Setembro 1997, p. 461-482.
Assuntos: Toxicodependência | Responsabilidade criminal | Comportamento desviante
Veja também: Ventura, João Paulo
Localização: PP.141 (CEJ)

O meu comentário Facebook Twitter LinkedIN
Título: Terrorismo : da caracterização do fenómeno à reactividade proactiva
Autor(es): João Paulo Ventura
Publicado em: In: "Polícia e justiça", Loures, III Série, n. 3, Jan./Jun.(2004) , p. 195 - 236
Assuntos: Terrorismo
Veja também: Ventura, João Paulo
Localização: PP.93 (CEJ)

O meu comentário Facebook Twitter LinkedIN
Título: Perturbações da ansiedade em contexto forense
Autor(es): João Paulo Ventura, Maria Rute David
Publicado em: In: "Temas penitenciários", Lisboa, Série II, n. 6-7, 2001, p. 47-62
Assuntos: Prisão | Psicologia
Veja também: Ventura, João Paulo | David, Maria Rute
Localização: PP.144 (CEJ)

O meu comentário Facebook Twitter LinkedIN
Título: O terrorismo, a criminalidade organizada e a segurança doméstica
Autor(es): João Paulo Ventura
Publicado em: In: "Polícia e justiça", Loures, III Série, n. 1, Jan./Jun. (2003), p. 113 - 126
Assuntos: Crime organizado | Terrorismo
Veja também: Ventura, João Paulo
Localização: PP.93 (CEJ)

O meu comentário Facebook Twitter LinkedIN
Título: O método de recurso a Spotters enquanto instrumento de deteção proactiva na segurança de eventos
Autor(es): Koos Barten ; trad. João Paulo Ventura
Notas: Bibliografia pág. 77
Resumo: Exerço funções na Academia de Polida de Apeldoorn enquanto docente e investiga-dor. Estou envolvido na formação e pesquisa nas seguintes áreas de responsabilidade funcional: radicalização e terrorismo, segurança operacional e recolha clandestina de intelligence. Tem-se tornado absolutamente claro ao longo dos anos que a nova marca do terrorismo equaciona desafios às autoridades policiais e aos serviços de segurança e intelligence.. Enquanto no passado os atentados eram cometidos por terroristas filia¬dos em grupos ou organizações conhecida(o)s os ataques da atualidade parecem ser protagonizados, em larga escala, por agressores desconhecidos. Na minha qualidade de promotor de conteúdos formativos e educativos adquiri experiência no contacto com o método israelita de recurso a Spotters. Esse curso de Formação foi desenvolvido com o propósito inicial de localizar- bombistas suicidas nos momentos que antece¬dem atentados seguindo-se a adoção de procedimentos e ações adequadas. Nos Paí¬ses Baixos este curso é lecionado ou ministrado para garantir a segurança de eventos pela equipa de Spotters de Ossendrecht. Este artigo propõe-se mostrar como esse mé¬todo pode ser utilizado, em conjugação com meios tecnológicos de deteção ou de na¬tureza diversa, assim incrementando a segurança de eventos públicos e a proteção contra eventuais agressores (des)conhecidos
Publicado em: In: Investigação criminal. - Lisboa : ASFICPJ. - ISSN 1647-9300. - Nº 6 (dezembro 2013), p. 50-77
Assuntos: Terrorismo | Investigação criminal | Comportamento desviante
Veja também: Barten, Koos | Ventura, João Paulo
Localização: PP.280 (CEJ)

O meu comentário Facebook Twitter LinkedIN
Título: Instrumentos de luta contra o terrorismo na União Europeia : o Centro Europeu Contra-Terrorismo da Europol
Autor(es): Manuel Navarrete Paniagua ; trad. João Paulo Ventura
Notas: Bibliografia pág. 59
Resumo: O aparecimento do Estado Islâmico – Da’esh (EI- Da’esh) no espetro do terrorismo de recorte jihadista implicou o incremento da ameaça que já existia nesse âmbito. A internacionalização dos conflitos na Síria e Iraque produziu uma atração sobre os seguidores do terrorismo com destino às denominadas “zonas de jihad” com cifras sem precedentes ao nível do chamado fenómeno dos “terroristas estrangeiros”. A sua integração em grupos terroristas e nalguns casos o regresso aos seus países de origem representam sem dúvida uma ameaça que se deve enfrentar. Resulta muito relevante o uso intensivo da internet e das redes sociais pelos terroristas com vista à captação e radicalização de simpatizantes e à promoção de ações terroristas individuais daqueles que não querem ou não podem deslocar-se. Os serviços de Segurança, Policiais e de Intelligence da União Europeia vêm, desde há anos, quando irrompeu o terrorismo jihadista na Europa, adaptando as suas técnicas e procedimentos face a essa ameaça. O aparecimento do EI-Da’esh, com os novos perfis e procedimentos associados a este padrão de terrorismo exige rápida e eficaz evolução para atuar e combatê-lo. Os serviços e as instituições europeias centram os seus esforços na revisão do quadro legal e nos planos de ação para melhorar e ajustar a segurança nacional e europeia face à nova ameaça. O impulso político e a necessidade operativa determinam o reforço do recurso aos instrumentos existentes, tornando-os mais completos e acessíveis, ligando os sistemas e bases de dados, potenciando as plataformas multidisciplinares e a cooperação multilateral com instâncias como a Europol e o seu Centro Europeu Contra-Terrorismo (CECT)
Publicado em: In: Investigação criminal. - Lisboa : ASFICPJ. - ISSN 1647-9300. - N.º 11 (fevereiro 2017), p. 40-59
Assuntos: Terrorismo | Obtenção de prova | Cooperação europeia | Europol
Veja também: Navarrete Paniagua, Manuel | Ventura, João Paulo
Localização: PP.280 (CEJ)

O meu comentário Facebook Twitter LinkedIN
Título: Homicídio roubo e furto : estereótipos e representações sociais dos infractores
Autor(es): João Paulo Ventura, Vera Lapa Correia
Publicado em: In: "Revista portuguesa de ciência criminal",Coimbra, A.10, n.2 (Abr.-Jun. 2000), p. 253-300
Assuntos: Homicídio | Roubo | Furto
Veja também: Ventura, João Paulo | Correia, Vera Lapa
Localização: PP.141 (CEJ)

O meu comentário Facebook Twitter LinkedIN
Título: Ensaio sobre cooperação policial bilateral Portugal – Espanha
Autor(es): Marcial Rodriguez y Rodriguez ; trad. João Paulo Ventura
Notas: Bibliografia pág. 164
Resumo: Neste ensaio apresentam-se alguns comentários críticos, sobre a “cooperação policial informal” entre Portugal e Espanha; a colaboração mútua que decorre amparada em vários tratados, convénios, acordos, protocolos e memorandum, através de mecanismos não-regulados, sem formalismos, e, essencialmente por intermédio de oficiais de ligação (OL), em particular na investigação da criminalidade organizada. Referem-se os modos de articulação desses mecanismos em Espanha, de quem dependem os OL (qual é a sua autoridade de tutela) e que corpos policiais representam, considerando que essa realidade reflecte as consequências da confusa distribuição de competências policiais em Espanha, matéria que aliás se aborda, neste artigo, de forma mais detalhada. Por último expõem-se algumas considerações práticas sobre o papel e funções dos OL espanhóis que operam em Portugal
Publicado em: In: Investigação criminal. - Lisboa : ASFICPJ. - ISSN 1647-9300. - Nº 4 (Dezembro 2012), p. 148-164
Assuntos: Cooperação policial | Crime organizado | Espanha | Portugal
Veja também: Rodriguez y Rodriguez, Marcial | Ventura, João Paulo
Localização: PP.280 (CEJ)