Banner
Base bibliográfica geral
Registos: 1 - 3 de um total de 3
O meu comentário Facebook Twitter LinkedIN
Título: Para não perturbar os mandarins irritados : a propósito de um parecer do Procurador-Geral da Coroa (1847)
Autor(es): António Vilhena de Carvalho
Resumo: A propósito de um parecer do Procurador-Geral da Coroa emitido em 1847, são examinadas de forma sumária as soluções seguidas para resolver os conflitos de jurisdição surgidos pela prática em Macau de crimes de homicídio envolvendo portugueses e chineses. Emitido numa época em que começa a tomar expressão, em benefício dos cidadãos europeus residentes em cidades chinesas, o princípio da extraterritorialidade, o parecer remete para um quadro histórico de pragmatismo e acomodação que foi a norma, durante as dinastias Ming e Qing, nas relações estabelecidas entre as autoridades de Macau e as vizinhas autoridades chinesas
Publicado em: In: Revista do Ministério Público. - Lisboa : Sindicato dos Magistrados do Ministério Público. - A. 37, n.º 146 (abr.-jun. 2016), p. 109-122
Assuntos: História do direito e das instituições | Procurador-Geral da Coroa | Macau
Veja também: Carvalho, António Vilhena de
Localização: PP.5 (CEJ)

O meu comentário Facebook Twitter LinkedIN
Título: Para não perturbar os mandarins irritados : a propósito de um parecer do Procurador-Geral da Coroa (1847)
Autor(es): António Vilhena de Carvalho
Publicação: Lisboa : Sindicato dos Magistrados do Ministério Público, 2016
Descrição física: p. 109-122 22 cm
Notas: Separata da Revista do Ministério Público, A. 37, n.º 146 (abr.-jun. 2016)
Resumo: A propósito de um parecer do Procurador-Geral da Coroa emitido em 1847, são examinadas de forma sumária as soluções seguidas para resolver os conflitos de jurisdição surgidos pela prática em Macau de crimes de homicídio envolvendo portugueses e chineses. Emitido numa época em que começa a tomar expressão, em benefício dos cidadãos europeus residentes em cidades chinesas, o princípio da extraterritorialidade, o parecer remete para um quadro histórico de pragmatismo e acomodação que foi a norma, durante as dinastias Ming e Qing, nas relações estabelecidas entre as autoridades de Macau e as vizinhas autoridades chinesas
Assuntos: História do direito e das instituições | Procurador-Geral da Coroa | Macau
CDU: 34
Veja também: Carvalho, António Vilhena de
Localização: HRN.132 (CEJ) - 30000030894

Capa

O meu comentário Facebook Twitter LinkedIN
Título: A cooperação judiciária na comunidade europeia
Autor(es): António Vilhena de Carvalho
Publicado em: In: "Policia e justiça", Lisboa, (6-7), Dezembro 1993-Junho 1994, p. 91-100.
Assuntos: Cooperação judiciária | Comunidade Europeia
Veja também: Carvalho, António Vilhena de
Localização: PP.93 (CEJ)