Banner
Base bibliográfica geral
Registos: 1 - 10 de um total de 16
O meu comentário Facebook Twitter LinkedIN
Título: Psicologia forense : contributos para o testemunho credível e o julgar prudente
Autor(es): Adriano Duarte Rodrigues ...[et al.]
Publicação: Lisboa : Centro de Estudos Judiciários, 2007
Descrição física: [ca 100] p. ; 30 cm
Notas: Curso Breve-documentação, realizado em 15, 22 e 29 de Junho de 2007, CEJ
Assuntos: Psicologia | Psicologia forense | Testemunho
CDU: 343.95
Veja também: Portugal. Centro de Estudos Judiciários
Localização: POA.247 (CEJ) - 30000022388. - Depósito
POA.247/a (CEJ) - 30000022389. - Depósito

O meu comentário Facebook Twitter LinkedIN
Título: Psicologia do testemunho : contribuição para a aproximação da verdade judicial à verdade
Autor(es): Carlos Alberto Poiares
Publicado em: In: "Revista jurídica da Universidade Portucalense Infante D. Henrique", Porto, n. 12, Mar. (2004), p. 77-94
Assuntos: Julgamento | Testemunho
Veja também: Poiares, Carlos Alberto
Localização: PP.226 (CEJ)

O meu comentário Facebook Twitter LinkedIN
Título: O testemunho e a verdade : dizer toda a verdade e só a verdade? : percepção, memória, emoção e crença
Autor(es): ; Cristina Queirós
Resumo: 1. Introdução; 2. Influência das emoções; 3. Credibilidade e verdade no testemunho; 3.1. Aspectos globais de avaliação da credibilidade; 3.2. Interferência da emoção na memória da testemunha; 3.3. Testemunho visual versus testemunho auditivo; 4. Conclusão
Publicado em: In: Curso Breve sobre Psicologia Forense. - Lisboa : Centro de Estudos Judiciários, 2007. - p. 1-14
Assuntos: Psicologia forense | Testemunho | Prova
Veja também: Queirós, Cristina
Localização: POA.247 (CEJ)

O meu comentário Facebook Twitter LinkedIN
Título: O testemunho como performance
Autor(es): Jorge Manuel de Aguilar Gonçalves
Notas: Bibliografia pág. 251
Resumo: O tribunal é, em muitos casos, um espaço de indecisão, perplexidade e incerteza. Neste cenário de dúvida interpretativa, recai sobre o inspetor da PJ, uma maior responsabilidade que o obriga a preparar o seu depoimento, como também a controlar as emoções que lhe assaltam a mente e a lucidez, quando e se 'provocado' pelo contra interrogatório. Na verdade, é neste cenário contraditório de convicções, de gestualidade e espetacularidade retórica, que a capacidade do polícia de saber interpretar e ser interpretado, pode acrescentar valor ao depoimento. Ou seja, é a aptidão de relacionar os recursos não-verbais com a palavra, ou depoimento, mostrando uma atitude de competência esperada pelo tribunal e pela PJ. Esta aptidão radica o controlo emocional como ambiente interno, para que o polícia mantenha a lucidez e não se deixe dominar pela irritabilidade e agressividade; radica, ainda, na atenção sobre eventuais armadilhas retóricas e eloquência argumentativa lançadas pelo advogado de defesa, no âmbito da dialética das perguntas e respostas. Nesta aptidão chama-se performance e é central para o testemunho de polícia. Se o ato performativo tem qualquer coisa de artístico, então, o testemunho pode ser uma arte?
Publicado em: In: Investigação criminal. - Lisboa : ASFICPJ, 2011-. - ISSN 1647-9300. - N.º 3 (Junho 2012), p. 236-251
Assuntos: Psicologia | Testemunho | Julgamento
Veja também: Gonçalves, Jorge Manuel de Aguilar
Localização: PP.280 (CEJ)

O meu comentário Facebook Twitter LinkedIN
Título: O direito ao confronto e o caso Al-Khawaja e Tahery c. Reino Unido
Autor(es): Daniel Diamantaras de Figueiredo
Notas: Bibliografia pág. 354-358
Resumo: Introdução. 1. Caso Al-Khawaja e Tahery c. Reino Unido. Uma mudança de paradigma? 1.1. Enquadramento geral do caso. Resumo dos fatos Al-Khawaja e Tahery c. Reino Unido. 1.1.1. Fatos do processo de Al-Khawaja. 1.1.2. Fatos referentes ao Tahery. 1.2. Julgamento pelo Tribunal Europeu dos Direitos Humanos. 2. Direito ao confronto na produção da prova. 2.1. Breves comentários ao direito ao confronto no processo adversarial norte-americano. 2.2. "Right of confrontation" x "hearsay rule". 2.3. Direito ao confronto x contraditório. 3. Análise do direito ao confronto pelo Tribunal Europeu dos Direitos Humanos. 4. Comentários do caso Al-Khawaja e Tahery c. Reino Unido. 5. Críticas ao julgamento realizado pelo Tribunal Europeu dos Direitos Humanos. 6. Sobre a questão da transmissibilidade das declarações testemunhais no ordenamento jurídico português. Conclusão
Publicado em: In: Revista de concorrência e regulação. - Coimbra : Almedina. - A. 6, n.º 23-24 (jul.-dez. 2015), p. 321-358
Assuntos: Direito processual penal | Testemunho | Estados Unidos da América
Veja também: Figueiredo, Daniel Diamantaras de
Localização: PP.270 (CEJ)

O meu comentário Facebook Twitter LinkedIN
Título: Memória, identidade e representação : os limites da teoria e a construção do testemunho
Autor(es): António Sousa Ribeiro
Resumo: Partindo da perspectiva de que a teoria do Holocausto oferece um quadro paradigmático susceptível de fundar uma reflexão global sobre os fenómenos da violência extrema na modernidade, revisita-se a questão do significado do Holocausto para a compreensão das possibilidades e dos limites de reconstrução de identidades em contextos pós-traumáticos. Acentua-se, em especial, o papel do testemunho como espaço de tradução conducente à superação do estatuto de vítima e à afirmação de uma memória e uma pós-memória públicas.
Publicado em: In: Revista Crítica de Ciências Sociais. - Coimbra : C.E.S., 1978- . - Nº 88 (Mar. 2010), p. 9-21
Assuntos: Ciências sociais | Genocídio | Testemunho | Violência | Vítima
Veja também: Ribeiro, António Sousa
Localização: PP.3 (CEJ)

O meu comentário Facebook Twitter LinkedIN
Título: La chiamata di correo : analisi e propettive
Autor(es): Guiseppe Barone
Publicado em: In: "Rivista di Diritto Processuale", A. 42, (1), Gennaio - Marzo 1987, p. 105-155
Assuntos: Notificação pelo correio | Testemunho
Veja também: Barone, Guiseppe
Localização: PP.14 (CEJ)

O meu comentário Facebook Twitter LinkedIN
Título: Inverdades e consequências : considerações em favor de uma concepção subjectiva da falsidade de testemunho : anotação aos acórdãos da Relação do Porto de 30-01-2008 e da Relação de Guimarães de 29-06-2009
Autor(es): ; Nuno Brandão
Resumo: Perante dois acórdãos das Relações absolutamente contrastantes entre si, é propósito desta anotação fazer uma breve análise crítica do conceito de falsidade conformador do tipo-de-ilícito objectivo do crime de falsidade de testemunho. para. a partir de um critério de índole subjectiva, responder afirmativamente à questão de saber se é possível considerar existir falsidade nos casos em que uma testemunha presta sucessivamente depoimentos claramente contraditórios entre si, sem que todavia se logre apurar a efectiva realidade objectiva sobre a qual se pronunciou.
Publicado em: In: Revista portuguesa de ciência criminal. - Lisboa : Aequitas e Editorial Notícias, 1991- . - ISSN 0871-8563. - A. 20, n.º 3 (Jul.-Set. 2010), p. 477-504
Assuntos: Testemunho | Processo judicial
Veja também: Brandão, Nuno
Localização: PP.141 (CEJ)

O meu comentário Facebook Twitter LinkedIN
Título: Incidente probatorio e tutela della vittima del reato
Autor(es): Arturo Capone
Resumo: 1. Introduzione. 2. Sull'esistenza di obblighi europei di acquisizione antecipata della testimonianza. 3. Incidente probatorio speciale e tutela dei testimoni vulnerabili. 4. Le cause di non rinviabilità dell'incidente probatorio speciale. 5. Rinviabilità presunta o non tassativa?
Publicado em: In: Rivista di diritto processuale. - Padova : Cedam. - A. 67, nº 2 (mar.-abr. 2012), p. 344-362
Assuntos: Direito processual penal | Testemunho
Veja também: Capone, Arturo
Localização: PP.14 (CEJ)

O meu comentário Facebook Twitter LinkedIN
Título: Cognitive science in the courtroom
Autor(es): Neil Levy
Resumo: There is extensive evidence from cognitive science that the judgments of individuals, whether legal experts like judges or the laypeople who constitute juries, are predictably unreliable under many circumstances. We have retributive impulses that may distort our judgments; we are over-impressed by eyewitness testimony and by recollection, given how faulty each source of evidence often is; we attribute intentions to agents based on irrelevant considerations, and so on. Since these biases ensure that we make predictable mistakes, it is incumbent on the law to take them into account. In this paper, l review the evidence for these distortions and suggest possible responses. Subjective evidence should be replaced, where possible, with objective; factors (like race) known to mitigate the harshness of judgments should be regarded instead as mitigating factors to compensate, and we should investigate the possibility of using statistical rules to replace individual judgment
Publicado em: In: Anatomia do crime. - Coimbra : Almedina. - N.º 3 (jan.-jun. 2016), p. 169-182
Assuntos: Anatomia do crime | Ciência cognitiva | Julgamento | Testemunho | Tribunal
Veja também: Levy, Neil
Localização: PP.299 (CEJ)