Banner
Base bibliográfica geral
Registos: 1 - 10 de um total de 270
O meu comentário Facebook Twitter LinkedIN
Título: Violência doméstica [Recurso electrónico] : participação da ocorrência à investigação criminal
Autor(es): Carla Carina Pardal Cardoso Freire Quaresma
Publicação: Lisboa : Direção Geral de Administração Interna, 2012
Descrição física: 191, [1] p. : il. ; 24 cm
Colecção: (Direitos humanos e cidadania ; 4)
Notas: Requisitos mínimos: Acesso à Internet e Adobe Acrobat Reader
ISBN/ISSN: ISBN 978-989-8477-07-1
Assuntos: Violência doméstica | Investigação criminal | Intervenção policial
CDU: 343.1
Veja também: Quaresma, Carina
Outros recursos:
Localização: DOP.348 (CEJ)

Capa

O meu comentário Facebook Twitter LinkedIN
Título: Vigilância das telecomunicações : análise teórica e empírica da sua implementação e efeitos
Autor(es): Hans-Jörg Albrecht
Publicado em: In: Que futuro para o direito processual penal? / dir. Mário Ferreira Monte. - Coimbra : Coimbra Editora, 2009. - p. 725-743
Assuntos: Direito processual penal | Telecomunicações | Investigação criminal
Veja também: Albrecht, Hans-Jörg
Localização: DOP.237 (CEJ)

O meu comentário Facebook Twitter LinkedIN
Título: Vida e obra de Manuel Cavaleiro de Ferreira
Autor(es): Paulo de Sousa Mendes
Resumo: A grande Reforma do Código de Processo Penal de 1929 foi empreendida por Cavaleiro de Ferreira, enquanto Ministro da Justiça, através do Decreto-Lei n.° 35.007, de 13 de outubro de 1945, impondo o princípio acusatório que ainda hoje perdura como princípio informador do direito processual penal português. O Curso de Processo Penal (1955-1958) de Cavaleiro de Ferreira, enquanto académico, é a obra seminal da moderna ciência do direito processual penal português. O presente texto reavalia a importância destas duas facetas do professor de Lisboa
Publicado em: In: Revista da Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa = Lisbon Law Review. - Lisboa : F.D.U.L. - Vol. 60, n.º 1 (2019), p. 45-54
Assuntos: Investigação criminal | Princípio acusatório | Processo penal
Veja também: Mendes, Paulo de Sousa
Localização: PP.165 (CEJ)

O meu comentário Facebook Twitter LinkedIN
Título: Os vestígios e a cadeia de custódia da prova
Autor(es): Bruna Maria
Notas: Bibliografia pág. 147
Resumo: O sucesso da investigação criminal passa pela construção de prova robusta e incontestável, o que só é conseguido se a cadeia de custódia for bem executada. A cadeia de custódia é uma das condições próprias da recolha de vestígios, estando inserida no método científico; a sua concretização é essencial para que prova satisfaça as necessidades do processo de investigação, sendo fundamental o rigor nas diversas etapas subjacentes ao tratamento dos vestígios. Todos os vestígios são únicos e irrepetíveis, pelo que devem ser cuidados de acordo com a sua especificidade, por forma a não se perder informação e a garantir a sua integridade. É imprescindível que os mesmos sejam bem recolhidos e manuseados, para que possam ser convertidos em prova válida
Publicado em: In: Investigação criminal. - Lisboa : ASFICPJ. - ISSN 1647-9300. - N.º 10 (maio 2016), p. 138-147
Assuntos: Investigação criminal | Prova | Local do crime
Veja também: Maria, Bruna
Localização: PP.280 (CEJ)

O meu comentário Facebook Twitter LinkedIN
Título: Vários actores à procura de um papel
Autor(es): J. N. Cunha Rodrigues
Resumo: A investigação criminal em Portugal na transição democrática. Três actores à procura de um papel: o governo, o Ministério Público e as polícias. Sobre a dialéctica autonomia/cooperação: a história exemplar dos DIAPs. Poder político, judicialização da política e mediatização. Os desafios da Europa e as novas tentações de governamentalização do judiciário. Crise e enfraquecimento de paradigmas. O futuro do Ministério Público: estar atento aos sinais e reformar com realismo e audácia
Publicado em: In: Revista do Ministério Público. - Lisboa : Sindicato dos Magistrados do Ministério Público. - A. 34, n.º 136 (out.-dez. 2013), p. 9-27
Assuntos: Investigação criminal | Democracia | Portugal
Veja também: Rodrigues, José Narciso da Cunha
Localização: PP.5 (CEJ)

O meu comentário Facebook Twitter LinkedIN
Título: Utilização das técnicas de ADN no âmbito jurídico, em especial, os problemas jurídico-penais da criação de uma base de dados de ADN para fins de investigação criminal
Autor(es): Marta Maria Maio Madalena Botelho
Publicação: Coimbra : Almedina, 2013
Descrição física: 301 p. ; 23 cm
Colecção: (Monografias)
Notas: Bibliografia pág. 265-296. - Dissertação de mestrado Direito - Especialização em Direitos Humanos, Escola de Direito da Universidade do Minho, 2009
ISBN/ISSN: ISBN 978-972-40-5020-1
Assuntos: Direito processual penal | Investigação criminal | Meios de prova | Base de dados | ADN | Genética | Direitos fundamentais
CDU: 343.1
Veja também: Botelho, Marta Maria Maio Madalena
Localização: DOP.330 (CEJ) - 30000030842

Capa

O meu comentário Facebook Twitter LinkedIN
Título: Usi investigatividei cosiddetti captatori informatici : criticità e inadeguatezza di una recente riforma
Autor(es): Renzo Orlandi
Resumo: Le tecnologie hanno aperto spazi inediti allo sviluppo della personalità umana. Correlativamente affiorano nuovi diritti dell'utente del web che l'ordinamento giuridico è tenuto a riconoscere. Di ciò non c'è consapevolezza nella recente legge italiana che ha regolato l'uso investigativo dei cosiddetti captatori informatici. Scritta sull'onda delle diatribe suscitate da talune pronunce della giurisprudenza di legittimità, la legge si limita a disciplinare l'uso dei trojan horses come mezzi di intercettazione ambientale. In realtà, la strumentazione tecnica oggi disponibile consente di spaziare con straordinaria e formidabile ampiezza nella raccolta di documenti e informazioni in grado di fornire un quadro ricco e variegato delle abitudini quotidiane della persona controllata. Oltre a esaminare la riforma legislativa per quel che dice, il presente contributo mette in evidenza quel che viene taciuto, auspicando un attento ripensamento della disciplina processuale sui captatori informatici
Publicado em: In: Rivista italiana di diritto e procedura penale . - Milano : Dott. A. Giuffré Editore. - A. 61, n.º 2 (abr.-jun. 2018), p. 538-556
Assuntos: Direito processual penal | Direito penal | Tecnologia da informação | Investigação criminal | Reforma legislativa | Itália
Veja também: Orlandi, Renzo
Localização: PP.36 (CEJ)

O meu comentário Facebook Twitter LinkedIN
Título: A unidade de coordenação antiterrorismo e a investigação preventiva do terrorismo : a problemática da partilha de informação no caso da radicalização de nacionais
Autor(es): Frederico Cortez
Notas: Bibliografia pág. 142-144
Resumo: A evolução societária do Estado Moderno até ao Estado Contemporâneo, operada pelos desenvolvimentos tecnológicos, impactam não só a forma de estar do ser humano em sociedade, como também moldam as ameaças e conflitos hodiernos à escala mundial. Aqui se insere a problemática do terrorismo, muito em voga hoje em dia, quer de um ponto de vista securitário, quer de um ponto de vista fenomenológico. Assim, efectua-se uma análise holística, ainda que limitada, do que é o terrorismo, suas concepções deficitárias e eventuais características estruturais, que desta forma permite uma proposta de abordagem criminal ao fenómeno como ponto de partida para o discorrer sobre o assunto central: a (tão apregoada) partilha de informações, em particular no âmbito da Unidade de Coordenação Antiterrorismo (UCAT), apresenta questões que são aqui levantadas, não apenas mas também em confronto com a área da radicalização, máxime de nacionais. Conclui-se pela existência de dificuldades de ordem legislativa (quer supra-nacional, quer de transposição desses normativos para o Direito interno), de ordem organizacional e, bem assim, de conceptualização do problema, uma vez que falta uma postura integrada dos diversos agentes que aqui intervém para promover uma resposta contra-terrorista (CT) preventiva, necessariamente de criminal (mormente investigação preventiva), e não meramente reactiva, num contexto de respeito pelos esteios jurídico-constitucionais-penais que norteiam a nossa actividade CT, e a própria sociedade, no âmbito do Estado de Direito
Publicado em: In: Investigação criminal, ciências criminais e forenses - IC3F. - Lisboa : ASFICPJ. - N.º 2 (abril 2018), p. 116-144
Assuntos: Investigação criminal | Terrorismo | Radicalização
Veja também: Cortez, Frederico
Localização: PP.280 (CEJ)

O meu comentário Facebook Twitter LinkedIN
Título: Titularidade da investigação criminal e posição jurídica do arguido
Autor(es): Jorge Gaspar
Publicação: Lisboa : Universidade Lusíada, 2001
Descrição física: 93 p. ; 22 cm
Notas: Separata da Revista do Ministério Público, nºs 87/88
Assuntos: Direito processual penal | Arguido | Investigação criminal
Veja também: Gaspar, Jorge
Localização: DOP.166 (CEJ) - 30000016957

O meu comentário Facebook Twitter LinkedIN
Título: Titularidade da investigação criminal e posição jurídica do arguido
Autor(es): Jorge Gaspar
Publicado em: In: "Revista do Ministério Público", Lisboa, A.22, n.º87, Jul.-Set.,2001, p. 7-62, (cont.) nº88, Out.-Dez., 2001, p. 101-136
Assuntos: Investigação criminal | Arguido
Veja também: Gaspar, Jorge
Localização: PP.5 (CEJ)