Banner
Base bibliográfica geral
Registos: 1 - 6 de um total de 6
O meu comentário Facebook Twitter LinkedIN
Título: Risco permitido e desenvolvimento tecnológico
Autor(es): Andreas Hoyer ; trad. Susana Aires de Sousa
Notas: Tradução do original "Erlaubtes Risiko und technologische Entwcklung", ZStW 121 (2009), pp. 860-881
Resumo: Na era da globalização impõe-se aos países - em particular àqueles que não possuem recursos naturais - utilizar o seu capital humano e transformá-lo em progresso tecnológico. Assim, os riscos inevitavelmente associados a um tal progresso são, numa certa medida, permitidos quando confrontados com os seus benefícios económicos e sociais. Em relação às inovações técnicas, essa extensão há-de depender do preenchimento das condições de admissibilidade impostas pelo direito administrativo. Já as inovações técnicas não regulamentadas pela lei devem evidenciar, em cumprimento da ideia de necessidade justificada (rechtfertigender Notstand), uma certa vantagem social que supere substancialmente os riscos envolvidos.
Publicado em: In: Revista portuguesa de ciência criminal. - Lisboa : Aequitas e Editorial Notícias, 1991- . - ISSN 0871-8563. - A. 20, n.º 3 (Jul.-Set. 2010), p. 347-374
Assuntos: Desenvolvimento tecnológico | Protecção do consumidor | Direito penal
Veja também: Hoyer, Andreas | Sousa, Susana Aires de
Localização: PP.141 (CEJ)

O meu comentário Facebook Twitter LinkedIN
Título: Le regime des télécommunications dans le nouveau contexte technologique : tendences du droit communautaire et incidences possibles sur le droit portugais
Autor(es): Maria Eduarda Gonçalves
Publicado em: In: "Revue Trimestrielle de Droit Européen", Paris, A. 24, (1), Janvier-Mars 1988, p. 61-86.
Assuntos: Direito comunitário | Desenvolvimento tecnológico | Telecomunicações
Veja também: Gonçalves, Maria Eduarda
Localização: PP.33 (CEJ)

O meu comentário Facebook Twitter LinkedIN
Título: Protagonistas e contextos da produção tecnológica em Portugal : o caso da invenção independente
Autor(es): Cristina Palma Conceição
Publicado em: In: "Sociologia - Problemas e práticas",Oeiras, N.41, 2003, p. 119-150
Assuntos: Desenvolvimento tecnológico | Direitos de autor
Veja também: Conceição, Cristina Palma
Localização: PP.158 (CEJ)

O meu comentário Facebook Twitter LinkedIN
Título: Legal aspects of community policy on research and technological development
Autor(es): Jose Eliazalde
Publicado em: In: "Common Market Law Review", Dordrecht, V. 29, (2), April 1992, p. 309-346.
Assuntos: Política comunitária de desenvolvimento | Desenvolvimento tecnológico | Comunidade Europeia
Veja também: Eliazalde, Jose
Localização: PP.61 (CEJ)

O meu comentário Facebook Twitter LinkedIN
Título: Importação contratual de tecnologia e desenvolvimento tecnológico em Portugal
Autor(es): Vitor Corado Simões
Publicado em: In: "Desenvolvimento", Lisboa, A. 1, (1), Dezembro 1984, p. 87-106.
Assuntos: Desenvolvimento tecnológico | Contrato tecnológico
Veja também: Simões, Vitor Corado
Localização: PP.47 (CEJ)

O meu comentário Facebook Twitter LinkedIN
Título: Errar ainda é humano?
Autor(es): José João Martins Sampaio
Notas: Bibliografia pág. 127
Resumo: As novas Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC) ao possibilitarem a recolha, distribuição e tratamento de dados em tempo real, contribuem para o estabelecimento de novos ambientes de trabalho, onde a crescente automatização das diferentes tarefas, acaba por se assumir como factor determinante no desenvolvimento e implementação de sistemas produtivos dinâmicos e altamente flexíveis em termos da sua adaptabilidade a ambientes instáveis e imprevisíveis. Estas estruturas, possuem um elevado grau de complexidade sistémica, por oposição aos sistemas de produção tradicionais que, alicerçados numa lógica determinista de massificação da produção, apenas requerem, na sua modelização, a exacta determinação, avaliação e integração dos respectivos parâmetros e variáveis principais. Trata-se de estruturas de natureza flexível, que podem evoluir de sistemas estruturalmente complexos a sistemas comportamentalmente complexos, enquanto capacidade de transição através de diferentes estádios evolutivos, como é muitas vezes o caso dos sistemas de produção multi-produto ou multi-processo, em que as inúmeras de fases e/ou operações e os milhares de componentes associados, tornam impossível avaliar de forma coerente no momento m a sua dinâmica no momento m+1. O novo paradigma é pois um paradigma de complexificação, desde a gestão estratégica à estrutura operacional e ao processo produtivo, revelando-se a tomada de decisão aos diferentes níveis, um processo igualmente complexo onde a componente cognitiva assume um papel cada vez mais determinante. Neste ensaio abordarei o processo de tomada de decisão, propondo uma reflexão sobre a problemática da automatização cognitiva e da consequente legitimação do questionamento da natureza do erro operacional, em ambientes complexos.
Publicado em: In: Sociedade e trabalho. - Lisboa : M.Q.E., 1997-. - ISSN 0873-8858. - N.º 12/13 (Jan.-Jun. 2001), p. 121-127
Assuntos: Direito do trabalho | Política de emprego | Desenvolvimento económico | Desenvolvimento tecnológico
Veja também: Sampaio, José João Martins
Localização: PP.232 (CEJ)