Banner
Base bibliográfica geral
Registos: 1 - 2 de um total de 2
O meu comentário Facebook Twitter LinkedIN
Título: Acolhimento residencial e familiar [Recurso electrónico]
Autor(es): Catarina Pinheiro Mota ...[et al.] ; conceção e organização Jurisdição da Família e das Crianças
Edição: 1. ed
Publicação: Lisboa : Centro de Estudos Judiciários, 2018
Descrição física: 120 p
Colecção: (Formação contínua)
Notas: Requisitos mínimos: Acesso à Internet e Adobe Acrobat Reader
Resumo: 1. Acolhimento residencial – uma abordagem relacional / Catarina Pinheiro Mota e Paula Mena Matos. 2. Acolhimento familiar e residencial – o novo paradigma / Helena Simões. 3. Um novo paradigma – acolhimento residencial e familiar / Teresa Goldschmidt. 4. Benefícios e constrangimentos da medida de acolhimento familiar / Ana Paula Alves. 5. Famílias de Acolhimento / Elisete Simões Diogo. 6. Seleção de Famílias de Acolhimento / Clara Gonçalves. 7. Acolhimento familiar e residencial – o novo paradigma / Rui Godinho. 8. Acolhimento familiar e residencial – o novo paradigma / Sandra Veiga
ISBN/ISSN: ISBN 978-989-8908-27-8
Assuntos: Acolhimento familiar | Acolhimento residencial | Direito da criança | E-book
CDU: 347.64
Veja também: Mota, Catarina Pinheiro | Matos, Paula Mena | Simões, Helena | Goldschmidt, Teresa | Alves, Ana Paula | Diogo, Elisete Simões | Gonçalves, Clara | Godinho, Rui | Jurisdição da Família e das Crianças
Outros recursos:
Localização: DTE.255 (CEJ)

Capa

O meu comentário Facebook Twitter LinkedIN
Título: A aplicação simultânea de medidas em meio natural de vida e em regime de colocação
Autor(es): José Oliveira Barros
Resumo: Defende o autor neste artigo não ter o legislador adoptado a solução de impor uma tipicidade imperativa das medidas de protecção previstas no artigo 35.º da Lei de Protecção de Crianças e Jovens em Perigo, existindo, como tal, a possibilidade de o decisor (CPCJ ou Tribunal) aplicar várias das referidas medidas de forma simultânea, articulada e complementar, solução essa, não só admissível à luz da natureza de jurisdição voluntária do processo de protecção, como passível de, em certos casos, melhor cumprir as finalidades da intervenção protectora da criança ou jovem em perigo
Publicado em: In: Revista do CEJ. - [Lisboa] : CEJ. - N.º 1 (2019), p. 105-147
Assuntos: Princípio da tipicidade | Medidas de protecção | Jurisdição voluntária | Equidade | Medidas em meio natural de vida | Casas de acolhimento | Acolhimento residencial
Veja também: Barros, José Oliveira
Localização: PP.228 (CEJ)