001 CEJ20200227160120
100   ^a20200227d2018    k  y0porb0103    ba
101 0 ^apor
102   ^aPT
200 1 ^a<O >direito da saúde e as pessoas idosas^fGuilherme de Oliveira
330   ^aEste artigo acentua que os idosos, provavelmente, não precisam de cuidados especialmente sofisticados porque eles, habitualmente, sofrem de patologias conhecidas e de doenças crónicas. Os idosos precisam, sim, de melhoramentos em vários aspetos do direito da medicina.1. O direito da medicina deve focar-se no respeito pelos doentes. Isto inclui a proteção e promoção da autonomia e da prática do consentimento informado; a informação adequada; o vagar para perceber e decidir; uma representação jurídica adequada; procedimentos rápidos de compensação dos danos; e “envelhecimento nos seus lugares”, para manter os laços com os lugares, a família e os amigos. 2. O direito da medicina deve focar-se no acesso aos cuidados e na utilização de técnicas adequadas. Isto inclui a garantia de melhor acesso a boa qualidade dos cuidados; o pessoal mais treinado; o investimento em cuidados prolongados em vez de cuidados agudos; a disponibilidade de modos mais amigáveis de administração de medicamentos; de dispositivos médicos fáceis; de tecnologias de informação aplicadas à saúde; de investigação médica e ensaios clínicos. 3. O direito da medicina deve focar-se na sustentabilidade dos sistemas de saúde. Isto inclui mais inovação técnica e inovação social; a promoção da saúde através da adoção de estilos de vida saudáveis; e a discussão sobre o racionamento dos cuidados
461  1^tLex medicinae^cCoimbra^bCoimbra Editora^x1646-0359^vA. 15, n.º 29 (2018)^pp. 5-20
606   ^aDireito à saúde
606   ^aPessoa idosa
606   ^aCuidados de saúde
606   ^aEnsaio clínico
700  1^aOliveira,^bGuilherme de
856   ^uhttps://www.centrodedireitobiomedico.org/sites/cdb-dru7-ph5.dd/files/Livro_Lex_Medicinae_2018__0.pdf^zClique aqui para aceder à revista
920 n
921 a
922 a
923  
924  
925  
931 20200227
932 d
933 2018
934 
935 k  
936 y
937 0
938 ba