001 CEJ20190411150153
100   ^a20190411d2018    k  y0porb0103    ba
101 0 ^apor
102   ^aPT
200 1 ^aAvaliação das competências parentais^efactores de risco e factores de protecção^fRute Agulhas, Alexandra Anciães
330   ^aA Psicologia é frequentemente solicitada por parte das entidades judiciais no sentido de auxiliar o Direito na compreensão do funcionamento familiar. A avaliação das competências parentais ocorre, acima de tudo, no âmbito de processos de regulação, alteração, incumprimento ou inibição do exercício das responsabilidades parentais (Lei n.º 61/2008, de 31 de Outubro e Lei n.º 141/2015, de 8 de Setembro, alterada pela Lei n.º 24/2017, de 24 de Maio), bem como em processos de promoção e protecção (Lei n.º 147/99, de 1 de Setembro, com as devidas alterações introduzidas pela Lei n.º 23/2017, de 23 de Maio e pela Lei n.º 26/2018, de 5 de Julho). Este artigo descreve as principais dimensões da parentalidade, que devem ser enquadradas no contexto onde a relação entre pais e filhos se desenvolve, e que auxiliam na análise dos factores de risco e de protecção. Estes factores poderão auxiliar o magistrado a melhor compreender o potencial de mudança dos pais e em que medida estes conseguem identificar e satisfazer adequadamente as necessidades das crianças. Apresenta-se um caso prático que permite ilustrar e integrar os diversos conteúdos teóricos abordados
461  1^tRevista do CEJ^c[Lisboa]^bCEJ^vN.º 2 (2018)^pp. 191-241
606   ^aParentalidade
606   ^aRisco
606   ^aProtecção
606   ^aAvaliação pericial psicológica
700  1^aAgulhas,^bRute
701  1^aAnciães,^bAlexandra^4070
920 n
921 a
922 a
923 0
924  
925  
931 20190411
932 d
933 2018
934     
935 k  
936 y
937 0
938 ba