100   ^a20160722d2016    k  y0porb0103    ba
101 0 ^apor
102   ^aPT
200 1 ^a<A >tutela das denominações de origem no CETA e no TTIP^fAlberto Ribeiro de Almeida
330   ^a1. Introdução. O bilateralismo e o multilateralismo na proteção das denominações de origem e indicações geográficas. 2. A tutela das denominações de origem e indicações geográficas em países como o Canadá, os EUA, a África do Sul e a Austrália. 3. Críticas ao acordo CETA. 4. As particulares dificuldades das negociações do acordo TTIP no que respeita às denominações de origem e indicações geográficas. Possíveis soluções. 5. Conclusão. O universalismo da tutela das denominações de origem e indicações geográficas.
461  1^tRevista de direito intelectual^cCoimbra^bAlmedina^vN.º 1 (2016)^pp. 77-110
606   ^aDireito intelectual
606   ^aPropriedade industrial
606   ^aIndicações geográficas
606   ^aAcordos bilaterais
607   ^aCanadá
607   ^aEstados Unidos da América
700  1^aAlmeida,^bAlberto Ribeiro de
920 n
921 a
922 a
931 20160722
932 d
933 2016
934     
935 k  
936 y
937 0
938 ba