100   ^a20160513d2015    k  y0porb0103    ba
101 0 ^apor
102   ^aPT
200 1 ^aProblemas de comparticipação negligente no exercício da medicina em equipa^e<a >propósito do acórdão da Relação de Lisboa de 6 de julho de 2009, processo n.° 6172/06.3TDLSB-3^fHelena Morão
320   ^aBibliografia pág. 145-146
330   ^aO presente estudo foca problemas de comparticipação negligente suscitados pelo exercício da medicina em equipa. A propósito de um acórdão da Relação de Lisboa e com base nas regras de segurança cirúrgica, defende-se que o desvalor objectivo da acção negligente não se esgota na violação de um dever de cuidado -delimitado, neste contexto, à luz de uma conjugação entre princípio da confiança e dever de controlo-, mas requer que essa violação se traduza numa execução a título de autoria imediata, mediata ou co-autoria
461  1^tAnatomia do crime^cCoimbra^bAlmedina^vN.º 2 (jul.-dez. 2015)^pp. 129-146
606   ^aMedicina
606   ^aEquipa médica
606   ^aComparticipação
606   ^aNegligência médica
700  1^aMorão,^bHelena
920 n
921 a
922 a
923  
924  
925  
931 20160513
932 d
933 2015
934     
935 k  
936 y
937 0
938 ba