100   ^a20160106d2015    k  y0porb0103    ba
101 0 ^apor
102   ^aPT
200 1 ^a<O >tribunal penal internacional e o propósito comum^eque tipo de contribuição é requerida no artigo 25 (3)(d) do estatuto de Roma?^fKai Ambos
330   ^aO artigo 25(3)(d) do Estatuto de Roma não tem sido objeto de debates académicos ou jurisprudenciais. Todavia, os poucos autores que tentaram dar sentido a essa disposição têm-se deparado com sérios problemas ao fazê-lo, razão pela qual têm sido merecedores de fortes críticas. O presente trabalho não pretende abarcar todos os problemas do artigo 25(3)(d), concentrando-se, depois de algumas observações preliminares, na qualidade ou natureza da contribuição exigida por esta norma. Outros aspetos relacionados com este artigo serão tratados na medida em que sejam relevantes para o problema em causa
461  1^tAnatomia do crime^cCoimbra^bAlmedina^vN.º 1 (jan.-jun. 2015)^pp. 73-92
606   ^aDireito penal internacional
606   ^aTribunal Penal Internacional
606   ^aEstatuto de Roma
700  1^aAmbos,^bKai
920 n
921 a
922 a
923  
924  
925  
931 20160104
932 d
933 2015
934     
935 k  
936 y
937 0
938 ba