010   ^a978-989-51-4393-1
021   ^aPT^b392390/15
100   ^a20150714d2015    k  y0porb0103    ba
101 0 ^apor
102   ^aPT
200 1 ^a<Os >novos paradigmas que balizam o estatuto jurídico dos "cidadãos invisíveis"^econhecer os direitos das pessoas com deficiência e as obrigações do Estado português^ebreve apontamento sobre o Brasil^fAlexandra Chícharo das Neves
210   ^aLisboa^cChiado Editora^d2015
215   ^a162 p. ;^d22 cm
225 2 ^aCompendium
320   ^aBibliografia pág. 123-128
330   ^aUma sociedade para todos, uma sociedade democrática e participativa, fundada “no respeito e na garantia de efetivação dos direitos e liberdades fundamentais” não deve admitir discriminações entre os seus cidadãos, não pode permitir que existam pessoas que se encontrem impedidas de exercer e gozar plenamente os seus direitos civis, políticos, económicos, culturais e sociais. Hoje exige-se que as pessoas com deficiência sejam encaradas como cidadãos com direitos iguais a todos os restantes, sendo-lhes reconhecido o direito a oportunidades iguais para o exercício pleno da cidadania, o direito a condições para realizarem opções individuais e o direito a organizarem as suas vidas com a mesma autonomia da restante população. Uma sociedade plural e inclusiva alicerça-se nas ideias de autonomia, de independência na capacidade de decisão, de igualdade de oportunidades, de empowerment, da valorização da diferença, da responsabilidade cívica de todos e da implementação de políticas de mainstreaming
606   ^aDireitos do homem
606   ^aPessoas com deficiência
606   ^aInclusão social
606   ^aDireito comparado
607   ^aPortugal
607   ^aBrasil
675   ^a341.231^vBN^zpor
700  1^aNeves,^bAlexandra Chícharo das
859   ^u/BiblioNet/Upload/Capas/33686.jpg^zCapa
920 n
921 a
922 m
923  
924  
925  
931 20150714
932 d
933 2015
934     
935 k  
936 y
937 0
938 ba