100   ^a20140528a2014    k  y0porb0103    ba
101 0 ^apor
102   ^aPT
200 1 ^a<A >dedutibilidade em IRC dos encargos fiscais com as tributações autónomas^fFernando Carreira de Araújo, António Fernandes de Oliveira
330   ^aA.	A natureza jurídica da tributação autónoma: tributação (autónoma) sobre a despesa que não se confunde com o imposto sobre o rendimento ou lucro da empresa (IRC); i) O nascimento da tributação autónoma e como a Autoridade Tributária a percepcionou e vem percepcionando no seu confronto com o IRC; ii) As várias tributações autónomas existentes, o seu processo de contínua expansão e a busca de uma legitimação para as mesmas; iii) Síntese daquilo em que é possível assentar relativamente às várias tributações autónomas existentes; iv) O que pensam a doutrina e a jurisprudência no que respeita à natureza jurídica das tributações autónomas; B. A dedutibilidade fiscal do encargo com o imposto "tributação autónoma"; i) Aos encargos fiscais decorrentes das tributações autónomas aplica-se a regra geral da dedutibilidade dos encargos fiscais prevista no art. 23.°, n.° l, alínea f), do CIRC f1); n) Os encargos fiscais a que se aplica a excepção à respectiva dedutibilidade, prevista na alínea a) do n.° 1 do art. 45.° (anteriormente 42.°) do CIRC; iii) A controvérsia doutrinal que existiu sobre a (in)dedutibilidade da derrama municipal e o modo como foi dirimida confirmam também que, com respeito aos encargos fiscais com tributações autónomas, não se aplica a excepção, prevista na alínea a) do n.° 1 do art. 45.° (anteriormente 42.°) do CIRC, à regra fiscal da dedutibilidade dos impostos.
461  1^tCadernos de justiça tributária^cBraga^bCEJUR - Centro de Estudos Jurídicos do Minho^x2182-9780^vN.º 03 (jan.-mar. 2014)^pp. 3-24
606   ^aIRC
606   ^aTributação autónoma
700  1^aAraújo,^bFernando Carreira de
701  1^aOliveira,^bAntónio Fernandes de^4070
920 n
921 a
922 s
923  
924  
925  
931 20140528
932 a
933 2014
934 
935 k  
936 y
937 0
938 ba