100   ^a20121202d2012    k  y0porb0103    ba
101 0 ^apor
102   ^aPT
200 1 ^a<A >reparação do dano corporal em acidentes de trabalho e no âmbito civil^fJ. Borges Pinto
330   ^aA reparação do dano corporal em direito do trabalho visa, sobretudo, a reparação do dano patrimonial. Só por excepção se reparam danos não patrimoniais. Historicamente, justificava-se a diferença, por ser domínio da responsabilidade pelo risco. Com actual redacção do 508 do CC, não parece justificar-se. O dano corporal, independentemente do domínio jurídico que o regula ser civil, ou laboral ou outro é uno e talqualmente os demais danos, face à lei portuguesa, só pode ser patrimonial ou não patrimonial. Não há, assim, lugar para um tertium genus. As seguradoras, como meras gestoras dos riscos de acidentes de trabalho, teriam todo o interesse em defender a não excepcionalidade do regime e defenderem a reparação integral, equiparando os regimes laboral e civil. Pensamos mesmo que os valores decorrentes do regime de acidentes de trabalho tenderão mesmo a ser mais elevados do que os do regime geral      
461  1^tRevista portuguesa do dano corporal^cCoimbra^bA.P.A.D.A.C.^vA. 21, n.º 23 (Dez. 2012)^pp. 9-25
606   ^aDano corporal
606   ^aReparação do dano corporal
606   ^aAcidente de trabalho
606   ^aDireito do trabalho
700  1^aPinto,^bJ. Borges
920 n
921 a
922 a
923  
924  
925  
931 20121202
932 d
936 y
937 0
938 ba
966   ^lCEJ^sPP.176^120120507