100   ^a20131111d2012    k  y0porb0103    ba
101 0 ^apor
102   ^aPT
200 1 ^aGlobalização, empresa e responsabilidade social ^fClodomiro José Bannwart Júnior
330   ^aO Estado contemporâneo diminuiu o seu tamanho e a sua atuação na sociedade civil. De fato, parte de sua responsabilidade ficou diluída, sendo a mesma assumida por outras esferas da sociedade civil. As empresas não ficaram incólumes a essas transformações e, ademais o reconhecimento destas como instituições sociais, possibilitou que a elas fossem imputadas responsabilidades além da esfera económica, ocupando-se também dos domínios sociais e ambientais. Desse modo, a responsabilidade social empresarial deve-se justificar a partir das mudanças ocorridas no âmbito das sociedades contemporâneas, a partir do lastro das teorias sociais. As empresas devem ser perspectivadas além da esfera de produção material e participar dos valores simbólicos socialmente partilhados. Para isso será abordada a distinção entre produção material e produção simbólica apresentada por Habermas, tendo por base a diferenciação dos conceitos de trabalho e interação. Pretende, pois, apontar as implicações e as condições de as empresas se associarem ao complexo da interação social, como portadoras de responsabilidade sob o ponto de vista ético e moral. Busca-se, de modo geral, apontar o processo que Habermas opera no deslocamento da emancipação social - que o marxismo havia atribuído às forças produtivas - para o campo das relações de produção, ou seja, para o espaço dos argumentos sócio-morais. Nesse quesito registra-se a necessidade de inclusão da empresa como categoria teórica a ser considerada por uma teoria social mais ampla. A questão, em suma, é saber até que ponto as empresas podem contemplar no seu dinamismo próprio e peculiar de produção material (bens, produtos e serviços) também as categorias de produção simbólica (ética, moral e Direito), revigoradas pelo novo plano de validade da razão prática contemporânea, de orientação eminentemente pós-convencional. Este é um aspecto decisivo para analisar a responsabilidade transnacional das empresas levada adiante pelo processo de globalização, nas suas diversas variantes
461  1^tScientia iuridica^cBraga^bL.C.^vTomo 61, n.º 330 (set. - dez. 2012)^pp. 579-596
606   ^aEmpresa
606   ^aResponsabilidade social
606   ^aMoral
606   ^aÉtica
700  1^aBannwart Júnior,^bClodomiro José
920 n
921 a
922 a
923  
924  
925  
931 20131111
932 d
933 2012
934     
935 k  
936 y
937 0
938 ba