100   ^a20130312d2011    k  y0porb0103    ba
101 0 ^apor
102   ^aPT
200 1 ^aAlienação parental^equando o amor dá lugar ao ódio^fMaria Aglaé Tedesco Vilardo, António José Fialho
320   ^aBibliografia pág. 188-189
330   ^aPartindo da noção de exercício das responsabilidades parentais e dos fundamentos da convivência familiar entre as diversas gerações, é analisada a problemática da alienação parental e do tipo de comportamentos que procuram transformar os vínculos afectivos positivos que devem existir entre pais e filhos em sentimentos negativos (o “amor em ódio"); no âmbito do Direito Comparado, faz-se uma especial referência ao ordenamento jurídico brasileiro e às questões práticas suscitadas pela aplicação neste país da Lei da Alienação Parental. O texto faz ainda uma análise de alguma da jurisprudência do Tribunal Europeu dos Direitos do Homem sobre questões relacionadas com conflitos parentais envolvendo tribunais portugueses e os mecanismos que estes dispõem actualmente para obviar a comportamentos injustificados de violação dos acordos e decisões de regulação do exercício das responsabilidades parentais, na vertente dos contactos pessoais entre as crianças e os seus progenitores por forma a garantir o superior interesse daquelas
461  1^tRevista do CEJ^c[Lisboa]^nCEJ^x1645-829X^vN.º 15 (Jan.-Jun 2011)^pp. 137-189
606   ^aDireito da família
606   ^aAlienação parental
606   ^aResponsabilidade parental
700  1^aVilardo,^bMaria Aglaé Tedesco
701  1^aFialho,^bAntónio José^4070
931 20130312
932 d
933 2011
935 k  
936 y
937 0
938 ba