100   ^a20130222d2012    k  y0porb0103    ba
101 0 ^apor
102   ^aPT
200 1 ^a<O >direito administrativo global na regulação financeira europeia^ealguns problemas^fLuís Guilherme Catarino
210 ^aLisboa^cSindicato dos Magistrados do Ministério Público^d2012
215   ^ap. 95-153 ;^d22 cm
305   ^aSeparata da Revista do Ministério Público, A. 33, n.º 131 (Jul. - Set. 2012)
320   ^aBibliografia pág. 149-153
330   ^aAs recentes reformas da supervisão dos mercados na UE, através da constituição de Autoridades administrativas com vastos poderes vinculativos (incl. "legiferação", supervisão e sanção), levantam importantes e novas questões. Atenta a arquitectura constitucional actual da Europa e a garantia da sindicabilidade política e contenciosa dos seus actos, é mister analisar a sua legitimação face ao equilíbrio de poderes instituído pelos Tratados, e a interconexão entre Tribunais (a "cidade dos Juízes") como garante último da democracia política e económica
606   ^aMercado financeiro
606   ^aRegulação financeira
606   ^aUnião Europeia
606   ^aControle administrativo
675   ^a341.178^vBN^zpor
700  1^aCatarino,^bLuís Guilherme Carvalho de Pina,^f1962-
920 n
921 a
922 a
923  
924  
925  
931 20130222
932 a
933 2012
934      
935 k  
936 y
937 0
938 ba