100   ^a20121119d2001    k  y0porb0103    ba
101 0 ^apor
102   ^aPT
200 1 ^aPatentes de software^esobre a patenteabilidade dos programas de computador ^fAlexandre Dias Pereira
330   ^a1.A Convenção de Munique (1973). 2. O consenso legal versus dissenso doutrinal. 3. A adesão dos EUA à Convenção de Berna (1989) e a Directiva sobre programas de computador (1991). 4. A descompilação. 5.A "espinha dorsal" dos programas de computadores a sua insuficiente cobertura pelos direitos de autor: a dicotomia ideia-expressão. 6. O direito português: (in) admissibilidade do cúmulo de direitos de autor e de patentes. 7.Os programas de computador, como tais, e as invenções relacionadas com programas de computador. 8. A natureza híbrida dos programas de computador. 9. A patenteabilidade dos algoritmos. 10. Considerações reflexivas. 11. Conclusão.
463  1^aAssociação Portuguesa de Direito Intelectual^tDireito industrial^cCoimbra^bAlmedina^d2001^pp. 385-429^vvol.1
606   ^aDireito industrial
606   ^aPropriedade industrial
606   ^aMarcas e patentes
606   ^aComputador
606   ^aSoftware
700  1^aPereira,^bAlexandre Dias
920 n
921 a
922 a
923  
924  
925  
931 20121120
932 g
933 2001
934    
935 k  
936 y
937 0
938 ba
966   ^lCEJ^sDAO.53^120121119