001 20081124155559
010   ^a978-972-32-1910-4
100   ^a20120127d2011    k  y0porb0103    ba
101 0 ^apor
102   ^aPT
200 1 ^a<A >síndrome de alienação parental e o exercício das responsabilidades parentais^ealgumas considerações^fFilipa Daniela Ramos de Carvalho
210   ^aCoimbra^cCoimbra Editora^d2011
215   ^a144 p. ;^d23 cm
225 2 ^aCentro de Direito da Família^v26
330   ^aO Direito da Família tem assistido nas últimas décadas a uma constante transformação da sociedade, em geral, e das famílias, em particular. A assunção de um papel, cada vez mais significativo, no mundo do trabalho por parte da mulher tem afastado, paulatinamente, o estereótipo de mulher doméstica, nascida e criada para servir a família, isto é, cuidar da casa e do marido e educar os filhos. Efectivamente, a emancipação da mulher e a assunção de novos papéis não só por esta, mas, paralelamente, pelo homem, que cada vez mais assume ele próprio funções de cuidador dos seus filhos, tem tido crescentes reflexos nas relações progenitores - filhos após separação de facto, divórcio ou separação de pessoas e bens e, consequentemente, nos processos de regulação das responsabilidades parentais. O presente trabalho pretende, por conseguinte, induzir a uma reflexão baseada numa análise crítica da problemática existente quanto aos sucessivos casos de incumprimento de acordos/regimes de regulação das responsabilidades parentais, tendo por base a cada vez mais frequente alegação de situações de alienação parental, por parte de progenitores não guardiões em relação ao progenitor guardião.
606   ^aDireito da família
606   ^aAlienação parental
606   ^aResponsabilidade parental
675   ^a347.6^vBN^zpor
700  1^aCarvalho,^bFilipa Daniela Ramos de
859   ^u/BiblioNet/Upload/Capas/28336.gif^zCapa
920 n
921 a
922 m
923  
924  
925  
931 20120127
932 d
933 2011
934     
935 k  
936 y
937 0
938 ba
966   ^lCEJ^a30000026356^sDFI.414^xO^120120127