100   ^a20111108d2010    k  y0porb0103    ba
101 1 ^apor^cger
102   ^aPT
200 1 ^aRisco permitido e desenvolvimento tecnológico^fAndreas Hoyer^gtrad. Susana Aires de Sousa
305   ^aTradução do original "Erlaubtes Risiko und technologische Entwcklung", ZStW 121 (2009), pp. 860-881
330   ^aNa era da globalização impõe-se aos países - em particular àqueles que não possuem recursos naturais - utilizar o seu capital humano e transformá-lo em progresso tecnológico. Assim, os riscos inevitavelmente associados a um tal progresso são, numa certa medida, permitidos quando confrontados com os seus benefícios económicos e sociais. Em relação às inovações técnicas, essa extensão há-de depender do preenchimento das condições de admissibilidade impostas pelo direito administrativo. Já as inovações técnicas não regulamentadas pela lei devem evidenciar, em cumprimento da ideia de necessidade justificada (rechtfertigender Notstand), uma certa vantagem social que supere substancialmente os riscos envolvidos. 
461  1^tRevista portuguesa de ciência criminal^cLisboa^bAequitas e Editorial Notícias^d1991-    ^x0871-8563^vA. 20, n.º 3 (Jul.-Set. 2010)^pp. 347-374
606   ^aDesenvolvimento tecnológico
606   ^aProtecção do consumidor
606   ^aDireito penal
700  1^aHoyer,^bAndreas
702  1^aSousa,^bSusana Aires de^4730
920 n
921 a
922 a
923  
924  
925  
931 20111108
932 d
933 2010
934     
935 k  
936 y
937 0
938 ba
966   ^lCEJ^sPP.141^120111108