100   ^a20110119d2010    k  y0porb0103    ba
101 0 ^apor
102   ^aPT
200 1 ^aViolência doméstica e mediação penal^e<uma >convivência possível^fCláudia Cruz Santos
330   ^aPretende-se com este estudo contribuir para a reflexão sobre a possibilidade e a conveniência da denominada "mediação penal de adultos" no âmbito da violência doméstica entre cônjuges ou entre o agente e pessoa com quem aquele mantenha ou tenha mantido uma relação análoga à dos cônjuges. O legislador português optou por não admitir, nestes casos, a mediação penal como mecanismo de diversão processual mas veio a reconhecer a possibilidade de um "encontro restaurativo" entre o agente do crime de violência doméstica e a sua vítima-verificada a vontade de ambos- em momento posterior à suspensão provisória do processo ou à condenação. Apreciar-se-ão criticamente estas opções e questionar-se-ão o tempo, os pressupostos e as finalidades desse encontro.   
461  1^tJulgar^cCoimbra^bCoimbra Editora^x1646-6853^vN.º 12 (especial) (Nov. 2010)^pp. 67-79
606   ^aViolência doméstica
606   ^aMediação penal
606   ^aJustiça restaurativa
700  1^aSantos,^bCláudia Cruz
920 n
921 a
922 a
923  
924  
925  
931 20110119
932 d
933 2010
934     
935 k  
936 y
937 0
938 ba
966   ^lCEJ^sPP.243^120110119