100   ^a20090318d2008    k  y0porb0103    ba
101 0 ^apor
102   ^aPT
200 1 ^aMudam-se os tempos muda-se a família^e<as >mutações do acesso ao direito e à justiça de família das crianças em Portugal^fJoão Pedroso e Patrícia Branco
330   ^aPerante novos cenários de famílias, moldados sob o signo da flexibilidade, da fluidez e da pluralidade, o direito da família e das crianças é chamado a responder a novos problemas, de contornos ainda pouco definidos, que se manifestam entre uma tendência para a privatização, desinstitucionalização e contratualização das relações familiares, por um lado, e uma tendência para a (re)publicização, por outro, designadamente em matérias de novas conjugalidades e de defesa dos direitos das crianças. A estas duas velocidades transformativas - a família e o direito da família e das crianças, a que correspondem uma velocidade rápida e outra moderada, respectivamente - vem juntar-se a uma terceira velocidade, mais lenta, a do sistema de acesso ao direito e à justiça de família, sem o qual esses direitos nunca serão efectivos e não poderão ser exercidos, em plena cidadania, por todas/os aquelas/es que tenham necessidade de procurar a sua tutela
461  0^tRevista critica de ciências sociais^cCoimbra^vN.º 82 (Setembro 2008)^pp. 53-83
606   ^aDireito da família
606   ^aCriança
606   ^aDireito à justiça
700  1^aPedroso,^bJoão
701  1^aBranco,^bPatrícia^4070
920 n
921 a
922 a
923 0
924  
925  
931 20090318
932 d
933 2008
934     
935 k  
936 y
937 0
938 ba
966   ^lCEJ^sPP.3^120090318