100   ^a20080320d2007    k  y0porb0103    ba
101 0 ^apor
102   ^aPT
200 1 ^aViolência íntima no feminino^econtextos motivos e significados^fLuísa Sousela, Carla Machado e Celina Manita
320   ^aBibliografia pág. 187-190
330   ^aEste artigo aborda a violência física exercida por mulheres no âmbito das suas relações conjugais, considerando que podem (co)existir vários padrões de violência íntima, uns mais associados à perpetração masculina, outros à perpetração feminina, outros ainda a ambos os elementos do casal, de forma bio-direccional. De forma a clarificar melhor esta realidade no contexto português, conduzimos dois estudos: 1) um estudo quantitativo, com base numa investigação epidemiológica, cuja análise nos permitiu uma caracterização inicial da violência física exercida por mulheres nas suas relações íntimas e 2) um estudo quantitativo, alicerçado em entrevistas em profundidade a mulheres consideradas agressoras íntimas, que procurou explorar os contextos, motivações, significados de impacto da violência física exercida por estas no âmbito das suas relações conjugais. Verificou-se a existência de um perfil de agressão feminina relativamente uniforme, enquadrável numa lógica de retaliação ou autodefesa, no contexto de uma relação caracterizada predominantemente pela agressão masculina.
461  1^tRevista do CEJ^c[Lisboa]^d2004-^x1645-829X^vN.º 7 (2.º semestre 2007)^pp. 165-190
606   ^aViolência doméstica
606   ^aDireito penal
606   ^aDireitos da mulher
607   ^aPortugal
700  1^aSousela,^bLuísa
701  1^aMachado,^bCarla^4070
701  1^aManita,^bCelina^4070
920 n
921 a
922 a
923  
924  
925  
931 20080320
932 d
933 2007
934     
935 k  
936 y
937 0
938 ba
966   ^lCEJ^sPP.228