100   ^a20070925d2007    k  y0porb0103    ba
101 0 ^apor
102   ^aPT
200 1 ^a<A >construção do novo mapa dos tribunais^eenraizamento efectividade e mudança^fLuis Azevedo Mendes, Nuno Coelho
330   ^aPartindo do princípio da necessidade premente de proceder a uma reformulação da geografia judiciária, dado o actual desfasamento do sistema face à realidade territorial e ao desajustamento do movimento processual, procede-se à desmontagem dos critérios dos modelos já conhecidos de reforma, sustentados nas circunscrições NUT II e NUT III. Trata-se essencialmente de modelos totalmente ausentes do debate histórico efectuado sobre a questão que não levam em consideração muitos dos factores fundamentais que obrigatoriamente têm que ser ponderados nas reformas do sistema da geografia da justiça, já testados noutros países. Racionalização da oferta, equilíbrio na distribuição processual, especialização, gestão dedicada, flexível e profissional da circunscrição e definição do papel do juiz presidente são desafios inelutáveis a uma reforma útil e eficaz.
461  0^tJulgar^cCoimbra^vN.º 2 (Maio-Agosto 2007)^pp.129-157
606   ^aOrganização e administração judiciária
700  1^aCoelho,^bNuno
701  1^aMendes,^bLuís Azevedo^4070
920 n
921 a
922 a
923 0
924  
925  
931 20070925
932  
933 2007
934     
935 k  
936 y
937 0
938 ba
966   ^lCEJ^sPP.243